Hábitos de escrita #1

escrita1Quando se propõe a escrever, seja por uma necessidade psicológica terapêutica ou por puro prazer, para se perceber uma melhora visível na qualidade do texto escrito, é torná-lo um hábito constante.

Seja por alguns minutos a até horas, o importante é se iniciar esse hábito que traz mais benefícios que se imagina. É claro, ponderando-se em quanto tempo para se dispender neste hábito, aos poucos deve-se experimentar quanto tempo que se sentirá satisfação ao realizá-lo.
Mas como medir ou mesmo quantificar o tanto que deveremos escrever todos os dias?
É normal iniciar com um entusiasmo exultante onde se sente capaz escrever tudo que existe no mundo. Mas que ao longo dos dias, o desânimo toma conta na mesma proporção que o entusiasmo abandona sua posição.
No final das contas, cadernos com poucas folhas preenchidas são desperdiçadas e em nada produtivo saiu dessa jornada que mal começou.
Para evitar essa perda de entusiasmo, existem medidas simples, que seguidas podem amenizar o desânimo:

1) Seja realista e justo consigo mesmo.

2) Torne como lema a seguinte frase: “Nenhum dia sem uma linha”.

3) Depois que o hábito se estabelece, coloque uma média realista, do tipo 10 linhas em um dia. A cada dia que for escrever, escreva uma linha a mais.

4) Nos dias em que a vontade de escrever está em baixa, escreva coisas triviais ou descritivas apenas. Não exija uma obra literária todos os dias. Nem sempre a poética nos toma quando a rotina nos castiga.

5) Algumas vezes o meio para se escrever não funciona como deveria. Um caderno grande pode ser um termômetro de entusiasmo no começo. Mas em pouco tempo pode se tornar o algoz para sua escrita. Troque de caderno para um bloco menor, mais simples. Isto não chega ser um problema pois depois de escrito, pode-se digitar e ser revisado depois.

6) Não jogue o peso de se escrever uma obra literária logo de cara. Um livro de qualidade literária demora para ser feito. Para um livro de 100 páginas, por exemplo, chega a ter mais de 40% de seu texto original editado (cortado mesmo). Ou seja, quando foi concebido por seu autor, teria umas 140 páginas. Isto ocorre para que corrigir erros de gramática e concordância. E também para se adequar à qualidade editorial necessárias para que a história funcione e atinja seu objetivo, que é entreter ou passar sua mensagem.

7) Faça exercícios de escrita e criatividade. Isto torna menos monótona a escrita, proporcionando com o tempo um certo prazer em fazê-los. Existem inúmeros exercícios na internet, alguns simples e outros dotados de uma complexidade desafiadora, verdadeiras treinadoras de cérebro.

8) Não há problema de se iniciar sua jornada de escritor com um diário pessoal. É a forma mais comum e simples de exercício de escrita. Com o tempo, tem que se valer de outros processos de escrita, mudando o tema e abordagem. Afinal, a escrita para se tornar melhor ela tem que evoluir com o aprimoramento da abordagem, acrescentando novas perspectivas e experiências, além da mudança de narrativa também. A versão mais moderna que o caderno é o blog. Mas existem detalhes em que tem que tomar cuidado, dentre ele moderar detalhes pessoais e íntimos.

Bem, escreverei mais sobre hábitos de escrita pois o tema é um tanto fascinante para mim. 

Um abraço

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s