A Arte original de Tolkien

Um lado importante de um dos amados escritores, que era tanto um artista de imagens, assim como era de palavras.

O ícone literário J.R.R. Tolkien (nascido em 3 de janeiro de 1892, falecido em 2 de setembro de 1973) também estava entre aqueles raros criadores com semi-secretos talentos em um campo diferente a que obteve fama. Mas ao mesmo tempo, seus desenhos originais da primeira edição de seu livro “O Hobbit”, somente ganhou a luz do dia apenas recentemente. Feito por Tolkien, que ilustrou ele mesmo muitos de seus trabalhos, que se mostrou ser um artista em imagens, assim como em palavras.

Ao contrário de muitos autores que desenhavam por hobbie, que inclui-se Silvia Plath, William Faulkner e Flannery O’Connor, Tolkien, com um trabalho de ilustrador de qualidade média, obtinha o que exigia de suas histórias com muita reflexão e imaginação.

Em um livro entitulado “J.R.R. Tolkien – Artist & Illustrator”,   estão reunidas mais de 200 reproduções coloridas, muitas nunca publicadas, feitas em aquarela, lápis e tinta, abrangendo cerca de 60 anos de sua vida, que vai desde desenhos de sua infância a até ilustrações de seus livros publicados. Estão inclusos as ilustrações que criou quando criança, sua obsessão por caligrafia e seus mapas que imaginou da Terra Média.

Wayne G. Hammond e Christina Scull, editores do livro, aventuraram-se pela Inglaterra para encontrar os locais exatos que Tolkien se baseou para criar seus desenhos. Assim escreveram na introdução do livro:

“Há muito tempo senti que a arte de Tolkien merece ser tão conhecido assim como seus escritos. Os dois estavam intimamente ligados, e em suas pinturas e desenhos ele mostrou notáveis ​​poderes inventivos que se igualou com sua habilidade com as palavras. Seus livros foram lidos por milhares de leitores​​; a maior parte de sua arte, no entanto, foi visto por apenas um número muito reduzido.”

Felizmente, a rica arte de Tolkien sobreviveu, onde há a impressão de que ele possuía uma alma de um arquivista, como Hammond e Scull explicam: “Ele manteve quase tudo o que criou, até os pedaços de papel cheio de rabiscos espontâneos e que foram cuidadosamente dobrados. Suas criações mais apreciadas eram guardadas em envelopes especiais, que abria periodicamente para adicionar legendas e inscrições, mesmo anos depois que foram feitos.”

‘Thought’ | Pencil

Post original: por  – http://www.brainpickings.org/index.php/tag/illustration/page/9/

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s