Retrofuturismo, da Editora Tarja – Resenha de livro

Retrofututrismo_EdTarja352 páginas
Alliah, Nikelen Witter, Georgette Silen, Ana Cristina Rodrigues, Gianpaollo Celli, Renato A. Azevedo, Michel Argento, Marcelo Augusto Galvão, Dana Guedes e Richard Diegues.

Este seria o único livro do gênero com esse tipo de seleção e categorização, no Brasil e quiçá no mundo, segundo o ex-editor da editor Tarja, Gianpaolo Celli.
Premissa interessante com a de separação coerente dos tópicos que corroboram essa antologia de contos, com denominação “Punk”, onde cada tópico é uma denominação adaptada ao tema e relacionada ao tipo de tecnologia envolvida.
Conforme cada extrapolação da tecnologia de época, o cuidado na narrativa e descrição das características de cada época tornam a leitura dos contos interessante e de contexto de história criativo.
Não só a adaptação das características coloca-os coerentemente dentro de cada lapso de história.
A cada categorização de acordo com o simbolismo de cada era tecnológica, os contos apresentam em sua unanimidade, uma criatividade em elaborar os conceitos visuais e uma evolução de história que contagia e prende até o final.
Apesar que alguns contos foram um tanto sofríveis na leitura, principalmente àqueles que tentavam emular um refinamento literário exarcebado achando que ganharia o refinamentoliterário desejado. E havia também àquele que era tão criativo que mal havia uma linearidade de história e enredo, tal como fosse uma obra do dadaísmo em palavras. E outro que percebia-se a gana em escrever algo coerente ao tema, com os detalhismos tecnológicos de uma cultura distante da nossa mas que se esqueceu de se ater a um enredo compreensível.
Já na contrapartida, outros contos são deslumbres em forma de história, com narrativa e descrição de ambiente que foram muito bem pensados dentro de suas tramas e linhas de história. Esses, a leitura é empolgante e mal se vê o tempo passar, tamanha viagem de leitura que a história proporcionou. As histórias que foram as melhores são as que foram escritas para serem lidas até por quem não entende do assunto. A escrita bem cuidada tornou a história com um fluxo de leitura muito bom. É por esses contos é que se percebe que quem os escreveram, sabia muito bem contá-la e que os detalhes tecnicistas foram bem convincentes. Quando acaba o conto, fica o gostinho de querer ler mais.
Apesar da irregularidade na escrita de parte dos contos, o livro em seu conjunto torna o livro uma leitura e aquisição de caráter único e satisfatório.
Creio que até algo bem inspirador a quem se interessar pelo gênero a querer se arriscar escrever e ler mais a respeito.

Anúncios

One thought on “Retrofuturismo, da Editora Tarja – Resenha de livro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s