Túmulo de Oscar Wilde, coberto de marcas de batom

O túmulo de uma dos maiores escritores do século 19 está em Paris. Em um bloco de 20 toneladas, o túmulo tem uma escultura de uma figura de uma esfinge em vôo, com as asas estendidas verticalmente. Supõe-se que esta imagem foi baseada em um poema do próprio autor, “A Esfinge” e também em uma escultura que pertence ao Museu Assírio britânico. Por anos, fãs visitam o cemitério Pére Lachaise para homenagear o o dramaturgo irlandês e deixaram marcas de batom vermelho. Milhares de marcas de batom e mensagens cobrem a parte inferior do túmulo.

A prática iniciou-se em 1990, quando alguém decidiu deixar sua primeira marca de batom no túmulo. Além das marcas, há mensagens de amor escritas em vermelho, como “Wilde, sempre lembraremos de você” e assim por diante. Beijar o túmulo dele faz parte do circuito turístico e cult de Paris.

oscar-wilde-tomb-1

Photo credit

Existe uma multa de 12 mil dólares quem for pego beijando ou danificando o monumento, mas tal medida não causou efeito. Aparentemente é difícil pegar as pessoas no flagra.

As apelações do neto de Wilde, Merlin Holland, não foram suficientes para parar a prática. Uma placa pedindo aos fãs que respeitem o túmulo em vez de desfigurar-lo foram em vão.

De qualquer forma, a gordura dos batons infiltra-se na pedra tornando difícil a limpeza. Cada limpeza destrói uma camada de pedra, tornando-o ainda mais porosa. A próxima limpeza vai a mais fundo e desgastando a pedra ainda mais.

Em 2011, em ocasião do 111 aniversário de morte, as autoridades colocaram uma barreira de vidro em torno do túmulo, para prevenir de que façam mais marcas de batom, causando mais danos. Mas, agora, os turistas estão deixando as marcas no vidro, e flores e mensagens foram lançadas no interior do recinto e agora se encontram espalhados pelo pé do túmulo.

Oscar Wilde morreu falido e seus amigos, desolados, puderam lhe oferecer apenas um enterro de sexta classe em Bagneux, nos arredores da cidade. Nos anos seguintes, seu amigo e agente literário, Robert Ross, conseguiu com a venda de obras de Wilde, conseguiu anular a falência de Wilde e comprar uma sepultura no cemitério Père Lachaise. No ano seguinte, Helen Carew, uma das amigas de Ross, que tinha conhecido Wilde em seu auge, anonimamente ofereceu £ 2.000 para erigir um monumento, que foi esculpido por Jacob Epstein.

Quando a escultura foi trazida para o cemitério, os funcionários parisienses ficaram ofendidos com a nudez do anjo e tentaram cobrí-la com uma lona. Eles também cobriram com gesso uma parte da escultura, que eram testículos. Fizeram tal ato pois consideravam tal partes um tamanho incomum. Foi colocada também uma placa de bronze semelhante à forma de borboleta sobre os testículos do monumento, que foi revelado no início de agosto de 1914. A tumba sobreviveu sem maiores incidentes até 1961, quando alguns vândalos destruíram os testículos da escultura.

oscar-wilde-tomb-6

Photo credit

oscar-wilde-tomb-14

Photo credit

oscar-wilde-tomb-7

Photo credit

oscar-wilde-tomb-11

Photo credit

oscar-wilde-tomb-2

Photo credit

oscar-wilde-tomb-15

Photo credit

oscar-wilde-tomb-4

Photo credit

oscar-wilde-tomb-8

Photo credit

oscar-wilde-tomb-9

Photo credit

oscar-wilde-tomb-10

Photo credit

oscar-wilde-tomb-13

Photo credit

Sources: The Guardian / Wikipedia / The History Blog

Post original: escrito por Kaushik Monday, May 05, 2014

http://www.amusingplanet.com/2014/05/oscar-wilde-lipstick-covered-tomb-in.html

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s