Vamos começar pelo fim?

abf722801add557355f991555b513501Apesar de não publicar um tempinho, penso que devo voltar a escrever algo para o blog, não?

Nele tenho meus seguidores, leitores ocasionais e outros que simplesmente gostam do que posto.

Para todos meus singelos agradecimentos, pois sem eles, o blog seria um zero total. hehehe

Como iniciar os posts desse ano?

Pensei em mil coisas, além de 4 resenhas que estou com preguiça de postar.

Entrei no consenso que poderia começar por uma análise do ano que passou.

O ano de 2014, poderia dizer logo de cara, que foi melhor que o anterior (fácil assim? hehehe).

Comecei a faculdade de Letras, que se se mostrou um pouco trabalhosa no começo mas que com a devida adaptação, foi bem tranquila. Vamos ver esse ano pois começa as matérias literárias de verdade! (Uhú, teoria literária!).

Ao longo do ano escrevi muito. Contos, histórias à toa (só para treinar), conto, livros, projetos de livros, etc.

O resultado de tudo isso frutificou em duas participações em antologias, que emplaquei dentre 6 seleções, além de uma participação na revista Black Rocket com o meu conto “O Lobo das Portas”.
Na antologia “Bastidores do Crime”, entrei com o conto “Romantismo Mortal”, que foi uma síntese do final de um livro já começado, de mesmo título. Estou escrevendo esse livro “Romantismo Mortal”, que pretendo termianr em breve.
Na antologia “Mundos Volume 3”, entrei com o conto “Flagelo da Bruma”. É um conto que fazia parte de um livro que estava juntando contos de fantasia entitulada “Mundos da Bruma”.

Li muito livros interessantes, descobrindo autores igualmente talentosos. Agualusa, Borges, Chambers, Lovecraft, dentre muitos outros. Reforcei a minha paixão por PKD, tanto que pretendo fazer uma novela geek em homenagem à ele.. Em contrapartida, comprei outros que teria que passar um ano para dar conta da leitura. (hehehe). Claro, os autores nacionais! Li bastante livros nacionais, fato que me rendeu uma experiência dupla: a de conhecer escritores muito bons e amizades.

Nem sempre de alegrias passei por esse ano. Tive duras experiências com amigos que fiz e que se foram de forma dramática. Nem cito pois aqueles que se foram, que fiquem nas cinzas do passado. O que passou, passou.

É claro, fiz muitos amigos, fato que me deixa com uma  alegria imensa.
Muitos me acrescentaram experiências magníficas de sociabilidade, união junto aos mesmos problemas, um ombro para chorar e alegrias para se compartilhar.
Uma dessas amizades rendeu-me conhecimento e apoio para o romance policial que escrevi e que acredito que publique esse ano (vamos ver). Dessa amizade tive percalços de amargura e tristeza, mas que compreendi e em fez crescer como pessoa. A essa amizade só tenho um amor que somente esse amigo especial compreendeu e aceitou da forma que está. Não posso nem citar o nome dele porque vai render uma briga feia na casa dele.

Os amigos que fiz, alguns me deslumbrei de encanto por seus talentos, mas na mesma contrapartida me magoei na mesma proporção. De novo, preferi entender e deixar como está, pois nem sempre um amizade é uma recíproca e não se pode obrigara as pessoas gostarem de você, da mesma maneria que despendi de amor e atenção.

É… 2014 foi bom.

Mas 2015 vai ser melhor ainda!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s