A Linha da Sombra, de Joseph Conrad – Resenha de livro

A-Linha-da-Sombra_Joseph-ConradEditora Revan
154 págs

Em sua primeira viagem como capitão de um navio, cuja nomeação fora recusada por outro, o jovem aceita o encargo de comandar uma nau, pelo mar do sudoeste asiático, a realizar uma travessia.
Esse encargo reserva-lhe desafios típicos de uma viagem de navio em uma época em que os únicos recursos disponíveis eram mapas em papel, as estrelas, instrumentos de navegação e a própria sorte.
A narrativa conduz a história sem trandes tropeços, reservando a momentos em que ocorrem as calmarias, comuns de se ocorrem em mar, que algo de errado está prestes a ocorrer.
Um história de homens e mar que agradará quem quer ler algo diferente, de narrativa bem construída, raros hoje em dia.
Confesso que li este livro pela curiosidade despertada aoler “A Casa de Papel”, onde um dos personagens, o bibliófilo Bauer, devolve um exemplar deste livro à personagem Bluma. Por causa deste livro, a hsitória deste livro se inicia, tal como uma jornada de vida, como o “A Linha da Sombra”.
Depois de ler entendi o contexto deste livro, na trama do Casa de Papel. O personagem Bauer devolve os livros que tiveram alguma significância em sua vida por causa do simbolismo inerente ao livro devolvido. Ele deixara uma fase de sua vida, abandonando a casa de onde achava estar protegido e cercado por suas paixões. Percebendo o vazio de sua existência escolhida, resolve partir e seguir com sua vida como um barco ao vento.
O Linha da Sombra é uma jornada de passagem de vida de um homem, que enfrentando uma missão desafiadora, enfrenta os perigos para amadurecer e ingressar para o mundo dos adultos, que se mostra mais mistérios e cruezas que nem todos conseguem suportar.
É interessante de como a experiência pessoal de um escritor traz histórias de uma profundidade de elementos e trama. A experimentação na vida do autor trouxe uma história crível e que somente quem realmente vivera tal experiência podoeria ter escrito uma obra interessante e bem aventurada.
Hoje em dia, não basta analisar a narativa e estrutura de história. Um bom livro é aquele que traz um contexto a mais do que uma escrita impecável. Livros de hoje têm a escrita que acompanha os tempos modernos, mas nem sempre trazem um contexto que elevem o nível das histórias ou trazer o algo a mais que faça o leitor pensar mesmo depois de encerrar a leitura.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s