Perdido em Marte, de Andy Weir – Resenha de livro

Perdido-em-MArte_Andy-WeirEditora Arqueiro
336 págs.

Uma missão espacial realizada no planeta Marte resulta de forma catastrófica. Uma tempestade de areia atinge a nave que deixou os astronautas na superfície do planeta. Um deles é carregado pelos ventos e desaparece. Para preservar a vida da equipe, a capitã da missão decide partir, acreditando que o colega desaparecido esteja morto. Depois de se recuperar de seus ferimento, o astronauta Watney percebe que foi deixado para trás. Sem escolha, terá de se valer de equipamentos, suprimentos escassos e de sua inteligência, para sobreviver em solo marciano.
Mesmo que seja uma literatura de se utiliza de fatos concretos baseados nas inúmeras viagens espaciais, seja por meio de sondas interespaciais, estudos orbitais, observações telescópicas e de satélites, utilizar os dados existentes para se escrever um romance torna-o uma ficção científica realista, plausível e com um teor próximo a todos que se interessam da Ciência que conhecemos.
Nada de supersaltos, tecnologia futurista especulativa, aliens querendo comer nossos cérebros ou mesmo nos subjulgar, e principalmente, de longas explicações científicas inteligíveis ao leitor comum e restrito aos leitores desse grupo seleto. Ou seja, uma ficção possível de ser entendida.
Até mesmo o tecnicismo de super tecnologias e a sisudez de histórias gélidas é substituída por um tom em sua narrativa. O positivismo do personagem (ele é bem humorado, apesar da perspectiva sombria), aliado ao sentimento humanista e zelo pelos laços sociais, tornam uma ficção possível e aceita pela proximidade de nossa realidade.
Apesar de ter lido metros de páginas de FC, foi incrível ler algo diferente da sisudez das literaturas antigas e mesmo as atuais, que seguem o padrão da literatura da FC. É um alívio que alguém tenha escrito algo agradável de se ler e que o leitor mediano, mesmo sem muito entender de Ciências, consiga ler sem se chatear com longas explicações ou mesmo tentando entender o que é um “rastro de Táquions em uma manobra de arrasto”.
As intercalações de narrativa com a equipe que busca alternativas e observam o astronauta perdido, complementam a trama geral, que se focasse inteiramente no personagem principal, não teria o mesmo teor interessante que é o contexto geral do livro. É interessante a exposição de que uma viagem espacial não é só feita de astronautas e naves ou foguetes. Existem toda um equipe e logística no preparo e apoio dessas viagens. Parece óbvio mas é algo que pouco ou quase nunca é explorada.
Nem é preciso dizer que o ponto máximo do livro é de tirar o fôlego. Não dá para desgrudar a atenção enquanto o evento máximo da trama se desenrola.
É possível constatar que o autor sabe do que está escrevendo. Não só pelas pesquisas de termos específicos mas também de todo o procedimento de desenvolvimento de uma missão espacial é descrita de forma bem convincente a um leitor comum, que nem imagina como seja os bastidores de uma missão ao espaço.
Se estiver lendo no transporte público, só tenha cuidado de não perder o ponto ou a estação, pois a leitura é hipnótica e prende a atenção.

Anúncios

2 thoughts on “Perdido em Marte, de Andy Weir – Resenha de livro

    • Ah sim, se parece sim. O legal de ler o livro antes é vc sentir o contexto da história, pois a partir do momento que vira filme, ocorre certas diferenças que transforma-o em outro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s